quarta-feira, setembro 06, 2006

Avaliação

A T E N Ç Ã O

Curso de Ciências Sociais

Disciplina Sociedade Brasileira Contemporânea (Licenciatura)

Exercício individual para ser entregue na segunda feira dia 11 de setembro

1.

Comente a seguinte frase:

"Uma das formas de administrar a relação entre os dois sentidos de 'sociedade' foi pela divisão da antropologia em um aspecto etnográfico ou descritivo-interpretativo, voltado para a análise do particular e privilegiando as diferenças entre as sociedades, e um aspecto teórico ou comparativo-explicativo, que procura formular proposições sintéticas válidas para toda sociedade humana."

(Viveiro de Castro, E. A Inconstância da Alma Selvagem, São Paulo, Cosac&Naify, 2002 p297-300,)

2.

Comente se a afirmação  abaixo se aplica ao caso brasileiro.

A modernidade ocidental foi simultaneamente um processo europeu – dotado de mecanismos poderosos, como liberdade, igualdade, secularização, inovação científica, direito internacional e progresso – e um processo extra-europeu – dotado de mecanismos não menos poderosos, como colonialismo, racismo, genocídio, escravatura, destruição cultural, impunidade, não-ética da guerra.Um não existiria sem o outro. Por terem sido concedidas aos descendentes dos colonos europeus, e não aos povos originários ou aos povos para cá trazidos pela escravatura (exceção ao Haiti), as independências latino-americanas legitimaram o novo poder por via dos mecanismos do processo europeu para poder continuar a exercê-lo por meio dos mecanismos do processo extra-europeu.

(Boaventura de Souza Santos in: AS DORES DO PÓS-COLONIALISMO)

3.

Comente a seguinte frase explicitando a que legado que o autor se refere.

A questão de hoje é saber se esse legado, que ficou anacrônico, pode ser superado pelas forças vivas da democracia pós-Estado Novo através da afirmação de um projeto alternativo de caráter democrático e popular. Tudo indica que a resposta é negativa. Assim, o getulismo ainda não é coisa do passado em matéria de administração cultural, e continua impossível para os trabalhadores da cultura julgá-lo com isenção.

(Carlos Alberto Dória, A política cultural de Getúlio Vargas, que se matou em 1945, anda incomoda os intelectuais.)